Todos contra o tráfico de pessoas – Grupo de bolivianos é resgatado após denúncia de trabalho escravo em fábrica de roupas 
Entre em contato

segunda-feira, 11 de novembro

Grupo de bolivianos é resgatado após denúncia de trabalho escravo em fábrica de roupas

Minas Gerais

Confecção em Ribeirão das Neves só pagava salário se produto fosse vendido

Enzo Menezes, do R7

Um grupo de bolivianos – ao menos dois homens uma mulher e duas crianças – foi resgatado em condições de escravidão em uma fábrica de roupas em Ribeirão das Neves, na região metropolitana de Belo Horizonte. Nesta segunda-feira (11), uma das vítimas procurou a polícia para denunciar que trabalhava até 16 horas por dia e só recebia salário sobre as peças vendidas.

Walter Irineo Kuispe Poma, 25 anos, afirmou ter viajado da Bolívia para a Grande BH há sete meses, onde faz serviços de costura.  Os militares foram à rua Santos de Oliveira e Silva, nº 235, bairro Bom Sossego, e confirmaram as denúncias. A mulher de Walter, Tatiana Vilavicencio Chambi, 23 anos, morava nos fundos com os dois filhos, de dois e três anos, que foram levados para a UPA Justinópolis.

De acordo com eles, a jornada de trabalho se estendia das 7h às 22h ou meia-noite e os salários só eram pagos caso o fornecedor comprasse o estoque. Em caso de falhas nas peças, o valor era retido e o trabalhador só recebia após o conserto. Walter Irineo teria se irritado na última semana com a falta de pagamento e ameaçado matar os responsáveis pela contratação.

José Luiz Ninaja Kuispe, 25 anos e Jimmy Valencia Cordeiro, 30 anos, segundo a PM, também confirmaram a situação de escravidão. A responsável pela confecção – a brasileira Sirley Raimunda de Castro, 40 anos, e Jorge Luiz Valencia Cordeiro, 27 anos, foram levados para a Polícia Federal para prestar depoimento.

Fonte: http://noticias.r7.com/minas-gerais/grupo-de-bolivianos-e-resgatado-apos-denuncia-de-trabalho-escravo-em-fabrica-de-roupas-11112013



Webdesigner - Heldson Luiz da Silva
Jornalista - Cindhi Belafonte