Todos contra o tráfico de pessoas 
Entre em contato
quarta-feira 29 de julho de 2015

// Notícias

TJGO adere à Campanha Coração Azul contra tráfico de pessoas

O Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO) aderiu à campanha de conscientização contra o tráfico de pessoas, na Semana de Mobilização da Campanha Coração Azul, realizada de 27 a 31 de julho em todo o País. Atendendo a ofício do juiz Rinaldo Aparecido Barros, membro do Fórum Nacional do Poder Judiciário para Monitoramento e Efetividade das Demandas Relacionadas ao Tráfico de Pessoas (Fonatrape), o Edifício Desembargador Clenon de Barros Loyola, sede do TJGO, no Setor Oeste, recebeu iluminação especial de cor azul, utilizada pela Organização das Nações Unidas […]

// Vídeos

São Paulo dá início à Semana de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas

São Paulo dá início à Semana de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas

São Paulo – Começou ontem (27) em São Paulo a Semana de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas. A capital aderiu à campanha lançada pelo ministério da Justiça. Até o dia 31, várias atividades vão promover a conscientização sobre tráfico de pessoas, no Brasil e no exterior.

No Brasil, entre os anos de 2003 e 2013, mais de 42 mil trabalhadores foram resgatados do trabalho escravo, que é uma das principais finalidades do tráfico de pessoas.

Já no exterior, é a exploração sexual que lidera os crimes de tráfico de brasileiros e brasileiras. Das 475 vítimas identificadas pelo ministério das Relações Exteriores, entre 2005 e 2011, 337 sofreram exploração sexual, e 135 foram submetidas a trabalho escravo.

// World-news

Criminosos asiáticos usam Facebook para escravizar jovens estrangeiras

Facebook no Mundo

Um homem malaio e duas mulheres tailandesas foram detidos na última sexta-feira (24) por utilizarem o Facebook como meio para atrair e escravizar jovens estrangeiras. Segundo informações da Associated Press, os traficantes de pessoas prometiam empregos fixos em Kuala Lumpur, na Malásia, como vagas em restaurantes, bares e spas. Entretanto, assim que as interessadas chegavam ao local, eram forçadas a fazer sexo por dinheiro.

Os criminosos estão sendo acusados de tráfico de seres humanos, prostituição forçada e formação de rede de crimes fronteiriços e transnacionais. Segundo informações compartilhadas pelo coronel tailandês Komvich Padhanarath, seis mulheres foram submetidas à prostituição nos últimos cinco anos.

“Esse caso é um bom exemplo de como a mídia social está sendo usada como uma ferramenta de ação pelos traficantes para atrair pessoas”, disse Mark Rhodes, CEO da Exodus Road, que atualmente trabalha em conjunto com o departamento de investigações especiais da Tailândia para capturar organizações de tráfico.


Webdesigner - Heldson Luiz da Silva
Jornalista - Cindhi Belafonte