Portugal usado na rota de tráfico de crianças de África para a Europa

TRÁFICO HUMANO

27 DE SETEMBRO DE 2017 – 07:24

A notícia é avançada pelo Diário de Notícias, que cita fonte do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras. Desde março foram detetados cinco casos.

Foto:  Jorge Amaral/Global Imagens

A última situação foi detetada no passado sábado. Uma menina de 10 anos foi intercetada pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), à chegada a Lisboa de um voo oriundo de Dakar. Vinha acompanhada de um homem de 35 anos. Lisboa era apenas uma escala, o destino final era França.

A notícia, avançada pelo Diário de Notícias, cita fonte oficial do SEF e refere que Lisboa está a ser usada como uma nova rota para as redes de tráfico de crianças da África subsaariana.

Desde março, a unidade antitráfico de pessoas do SEF detetou cinco crianças nestas condições mas o SEF admite que podem ter sido mais a entrar para a Europa via Lisboa.

Estas crianças foram intercetadas no Aeroporto Humberto Delgado, tinham documentos falsos. Os adultos que as acompanhavam traziam documentos verdadeiros e foram detidos.

Os menores estão agora em instituições de acolhimento. São crianças e adolescentes de países africanos a sul do Saara. As autoridades conseguiram localizar os pais de apenas uma das crianças.

Fonte do SEF revelou ao Diário de Notícias que é difícil apurar a verdadeira identidade das crianças até porque há suspeita do envolvimento das famílias na rede de tráfico.

Dos cinco menores identificados desde março, um dos casos era imigração ilegal. O SEF suspeita que as restantes crianças seriam usadas para exploração sexual, laboral ou servidão doméstica.

O Congo, República Centro Africana e África do Sul são os países que suscitam mais atenção por parte das organizações internacionais.

Fonte: https://www.tsf.pt/sociedade/interior/portugal-usado-na-rota-de-trafico-de-criancas-de-africa-para-a-europa-8801119.html

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer participar da discussão?
Sinta-se a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *